Corpus Cristh na paróquia São Sebastião de Altônia

A paróquia São Sebastião de Altônia, mantem uma tradição de décadas neste dia em que toda Igreja celebra essa grande festa.

 

Reflexão para Solenidade de Corpus Christi

Considerar a magnitude da generosidade divina manifestada na Eucaristia ajuda a medir qual deve ser nosso ardor por este inigualável Sacramento.

A Eucaristia, Maria e nós

Expressão ímpar da benignidade de Nosso Senhor Jesus Cristo na Eucaristia é o fato de podermos adorá-Lo exposto no ostensório. Se o Sol traz vantagens para nossa saúde física, muito maior é o benefício que o Criador do Sol prodigaliza à nossa saúde espiritual quando estamos diante de Jesus-Hóstia!

Nossa consciência diante da Eucaristia

No entanto, como nem sempre nossas disposições correspondem ao que Ele espera de nós, é oportuno nos determos num exame de consciência. No meu dia a dia, como é minha devoção à Eucaristia? Tenho o hábito de nela centrar minha atenção, atividades e preocupações? Ao passar diante do Santíssimo Sacramento, numa igreja, procuro adorá-Lo com fervor? Ou me deixo levar pela rotina? Comungo na Santa Missa, persuadido de que Nosso Senhor Jesus Cristo sai do cibório contente por unir-Se a mim e, ao penetrar em meu ser, me santifica a alma e o corpo? Após a Comunhão, minha ação de graças tem a adequada solidez e fervor? Eu Lhe agradeço por me ter feito seu tabernáculo, estabelecendo comigo um relacionamento que jamais terá com um sacrário material, por mais precioso que este seja, e por haver entrado em consonância comigo, purificando minhas intenções, me dado forças sobrenaturais, robustecendo-me as virtudes e os dons do Espírito Santo?

Devo me lembrar de que entre os que receberam a Eucaristia na Santa Ceia estava o traidor de Jesus…

Com seu Sagrado Coração transbordante de afeto, mas também de justiça, Jesus cobra de cada um de nós no dia de hoje: “O que tens feito deste benefício extraordinário, o maior tesouro que te deixei?”. E de seus lábios ouvirei a recriminação pelas vezes em que O recebi com tibieza; ou às pressas, tomado por distrações voluntárias; ou em meio a uma culposa insensibilidade; ou ainda maculado pelo pecado, caso tenha incorrido nesta desgraça…Revista Arautos do Evangelho - Revista Católica - Baixar edição gratuita - Comentários ao Evangelho

O mais excelso tabernáculo

É possível que, chegando a este ponto da leitura, sintamos a consciência nos acusar. Voltemo-nos então a Nossa Senhora, em cujo claustro virginal — o mais perfeito dos tabernáculos — o Menino Jesus viveu ao longo de nove meses.

Não é difícil imaginar a impostação de espírito d’Ela durante este período de gestação. Por mais que estivesse ocupada com seus afazeres diários ou conversando com outras pessoas, todo o seu ser se concentrava no Divino Hóspede que Ela trazia em Si. Comentário ao Evangelho – Solenidade de Corpus Christi.

Eis o verdadeiro recolhimento! Todos os pensamentos, sentimentos e emoções d’Ela convergiam para Nosso Senhor Jesus Cristo, e, fortemente apaixonada por Ele, adorava-O enquanto Deus e amava-O enquanto Filho seu. Foi Ela a única Mãe que pôde amar seu Filho com total intensidade, sem o menor receio de amá-Lo mais do que a Deus… porque era o próprio Deus! Abismada em sua humildade e no completo esquecimento de Si mesma, considerava-Se como “Aquela que não é”, e reverenciava continuamente “Aquele que é”, em seu seio puríssimo. Magnífico espetáculo de despretensão e excelsitude inconcebíveis! Um coração materno feito de magnanimidade, do qual sobem e descem movimentos grandiosos, ­semelhantes às ondas do mar ou ao som de melodias celestiais… Ora se eleva num arrebatamento pelo Infinito, ora se debruça cheio de ternura sobre o pequenino Infante.

Também eu, quando comungo, acolho em meu interior o Verbo Encarnado com seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, e Ele ali permanece, como num trono, durante certo tempo. Com os olhos fixos no exemplo marial de compenetração, enlevo e gratidão a Deus, baterei no peito implorando perdão a Jesus por todas as minhas Comunhões gélidas e, dirigindo-me à Santíssima Virgem, Lhe pedirei: “Ó Maria, Vós, que confundíeis o vosso pensamento com o de Nosso Senhor Jesus Cristo; Vós, que consonáveis vossa vida com a d’Ele; o que pensais, ó Mãe, de minha indiferença para com Aquele que, sendo meu Criador e Redentor, Vós me destes por Irmão? Ó minha Mãe, Vós que tanto amais a Jesus, fazei com que eu O ame! Vós, que tudo podeis junto a Nosso Senhor, obtende-me que Ele Se apodere de meu coração. Amá-Lo é tudo! Adorá-Lo é tudo! Se eu O amar como devo, a vosso exemplo, a Eucaristia será o centro da minha existência, o lugar sagrado de minha felicidade, a fonte de minha generosidade. Ó minha Mãe, seja esta a vossa obra em minha alma!”.

Fonte: Revista Arautos do Evangelho

 

Fotos preparacao da ruas

Fotos Missa e Procissao